RPG a Day 2018

Bom dia Viajantes e Goblinóides de todas as partes, neste mês de agosto, já pelo 2º ano consecutivo, decidi participar de uma brincadeira que acontece fora do Brasil e está cada vez mais sendo difundida no nosso cenário. O nome é RPG a Day, e a cada dia temos uma pergunta para responder sobre nossas experiências com jogos, partidas e RPGs em geral. Mas antes, vamos a uma questão importante:

“Ahh porque você não faz a cada dia Goblin Zero?!” – Bom, como o site ainda não estava apresentável desde o início do mês e esse início de canal é sempre uma trabalheira só para organizar as coisas e manter tudo alinhado na equipe, não conseguimos trazer tudo como gostaríamos, o nosso querido Goblin Um (vulgo Jonata Sodre) tentou iniciar uns vídeos mas também não conseguiu manter a dinâmica… e enfim… também não será por isso que perderemos a possibilidade de difundir um pouquinho mais esta prática em nossa língua nativa! Então se alcançarmos 1 pessoa que não conheça já estarei MUITO feliz, mesmo.

 

> AGORA VAMOS AS PERGUNTAS e RESPOSTAS DO RPG a Day 2018 <

SEMANA 1: O QUE…

1º O que você mais ama nos RPGs?

Resposta: Acredito que a que coisa mais bonita para se comentar aqui seja a capacidade de unir pessoas, grupos de indivíduos com suas especificidades em prol de algo em comum, e disso conseguir sustentar o início de grandes amizades. Mas infelizmente não é a primeira coisa que vem a mente, por mais que saiba da importância disso tbm. A primeira coisa que me vem é a possibilidade de criar, usar a imaginação até não conseguir mais, interpretar também me agrada, mas a possibilidade de contar uma história, seja narrando ou jogando é inigualável.

2º Qual é a primeira coisa que você procura em um RPG?

Resposta: Ilustrações animais, uma identidade visual bacana, um sistema de recompensas interessante… e que ele tenha uma proposta dentro do gênero que aborda que me agrade.

3º O que da um “poder de permanência” a um jogo?

Resposta: No mercado? Investimento assertivo no nicho alvo. Na nossa mente? Provavelmente a capacidade de quem nos apresenta o jogo.

4º Qual seu PnJ (personagem não jogável) mais memorável?

Resposta: Acho que um personagem que sempre ficará marcado na minha mente é o “pequeno” dragão negro com suas asas deformadas cultuado pelos kobolds do subterrâneo das precursoras terras de Elbor. Mesa essa que faço questão de dar créditos ao Endrigo Tavares!

5º Qual seu PnJ (personagem não jogável) recorrente favorito?

Resposta: Certamente um empate entre o mago mais rápido do mundo e as cabeças rolando eternamente. Tenho certeza de que eles ainda tramam contra o nosso grupo!

SEMANA 2: COMO…

6º Como os jogadores podem fazer um mundo parecer real?

Resposta: Começar por pensar nas experiências e peculiaridades de seus próprios personagens é um bom começo, porque isso abre portas para criação de um passado e um background “vivo” e onde cada uma de suas ações tem um motivo “real”.

7º Como um narrador pode tornar as consequências das ações mais dramáticas?

Resposta: Aplicar descrições envolvendo os sentidos dos personagens torna o ambiente mais “palpável” e a experiência mais realista. (exemplo de narrativa: “…a caminhada dos aventureiros pela formação rochosa demanda cada vez mais energia de seus corpos, o calor dos sóis de Elbor e a proximidade das terras áridas do Sul deixam o aclive cada vez mais ardiloso, o ar aparenta mais seco e rarefeito a cada passada. As pedras marcam os pés daqueles sem calçados realmente pesados como botas e grevas e pouco a pouco o incomodo passa a dor latejante nos membros inferiores… não se passaram nem 4 horas de caminhada, mas para os menos resistentes o limiar já foi batido, seus olhos semiabertos enxergam com dificuldade, os lábios secos começam a descascar e a pele dos mais alvos já estão em vermelho intenso…”)

8º Como podemos ter mais pessoas jogando?

Resposta: Mais investimento e atraindo mais influenciadores de fora do meio para ele. Mas o trabalho de formiguinha também ajuda e muito! Um dos motivos de estar aqui passando um pouco das minhas experiências para vocês é que eu espero que ao menos uma pessoa tenha curiosidade sobre RPG.

9º Como uma partida te surpreendeu?

Resposta: Eu gosto de partidas que levam os personagens ao limite, seja de suas habilidades ou mesmo numa situação social. Ultrapassar um desafio sempre me leva a sensação de surpresa e percepção de capacidade.

10º Como o RPG mudou você?

Resposta: O RPG foi um nicho onde eu pude aplicar alguns devaneios, exercitar cada vez mais minha capacidade criativa e colocar a imaginação a prova.

11º Seu nome mais maluco de personagem?

Resposta: Nossa, essa quem me conhece já sabe muito tem a resposta. Eu tenho algo com “¨” (tremas) e por isso de uns bons anos para cá todos meus personagens tem isso no nome.

12º Seu conceito mais maluco de personagem?

Resposta: Uma vez fiz um bardo fanho, infelizmente o jogo não foi para a frente, mas passei horas exercitando motes e tentando falar como ele… seu nome era Manfrëdo Meia-Língua.

SEMANA 3: DESCREVA…

13º Descreva como seu jogo evoluiu.

Resposta: Sendo bem direto, meu jogo evoluiu a partir do momento que comecei a jogar Vampiro a Mascara, foi quando comecei a pensar um pouco mais a fundo nas dinâmicas de intriga e background de personagem, descrever os momentos do “abraço”, como expor a loucura de um malkaviano ou a bestialidade nativa de um gangrel… Mas sei que isso se deve também a fantástica experiência que tive com a apresentação do absurdamente completo e complexo cenário do título, do qual tenho até hoje seus romances. Sei que tenho que agradecer muito pela experiência que tive e para quem me apresentou o jogo… porque deus goblin que me livre se tivesse jogado supers noturnos que nem tem gente que fala para mim hueuheuhehuehuehue.

14º Descreva uma falha que se tornou surpreendente.

Resposta: Nossa, esse é um tópico inesperadamente complicado de responder, mas muitas vezes quando sabemos lidar, as falhas moldam nossos personagens em jogo, geralmente acrescentam motivações ou mesmo libertam suas fraquezas (que são características que todo jogador deve explorar na criação de um personagem).

15º Descreva uma experiência complicada do RPG que você gostou.

Resposta: Narrei uma vez para um psicólogo argentino que estava há alguns anos no Brasil, ele queria conhecer um pouco mais sobre a imersão e das simbologias usadas no RPG, preparei uma aventura e montei umas fichas personalizadas até para ele curtir a experiência e por mais que não tenhamos jogado muito, o papo foi MUITO legal!

16º Descreva seus planos para a próxima partida.

Resposta: Tenho um personagem lindamente preparado para abrir os portões da próxima partida, só isso que digo!

17º Descreva o melhor elogio que você ganhou em uma partida.

Resposta: Não curto falar muito dos elogios que recebo, na real curto MUITO recebe-los, mas falar deles parece que eu to querendo me mostrar, sabe? Bom, mas como a pergunta manda, foi um elogio em relação a interpretação, eu gosto de me empenhar nessa parte, mesmo com os personagens mais quietos e introspectivos.

18º Arte que inspira seu RPG.

Resposta: Frank Frazetta e Rebecca Guay instigam demais minha imaginação!!!

19º Música que estimula seu RPG.

Resposta: Aquelas voltadas para a fantasia medieval, trilhas de senhor dos anéis e o hobbit que as vezes eu escuto e fico imaginando as passagens dos filmes e dos livros…

SEMANA 4: QUAL…

20º Qual mecânica de RPG te inspira mais?

Resposta: Gosto muito do uso de cartas e de regras situacionais (como de medo/doença/ferimento) em mesa.

21º Qual mecânica de dados mais te atrai?

Resposta: Acredito que a última que mais curti foi a simples implementação de vantagens e desvantagens da 5ª edição de Dungeons & Dragons.

22º Qual sistema sem dados é o seu preferido?

Resposta: Precisa ser de RPG?! Vou aproveitar a oportunidade e falar que adoro jogar Once Upon a Time!!!

23º Qual RPG que você espera jogar novamente?

Resposta: Sem dúvida alguma… CHANGELING O SONHAR!!!! (alguém narra isso para mim pls!)

24º Qual RPG você acha que merece mais reconhecimento?

Resposta: Eu acredito que os produzidos aqui no Brasil, deveria ter uma partição nos sites de venda sobre jogos brasileiros/nacionais… eu curtiria ficar buscando jogo num lugar desses!

25º Qual RPG que causou maior impacto em você nos últimos 12 meses?

Resposta: A descoberta do Trudvang Chronicles foi algo que me marcou bastante, acredito que todos deveriam dar uma olhada no projeto dele e nas artes ABSURDAS que ele carrega.

26º Qual sua ambição para o RPG nos próximos 12 meses?

Resposta: Tocar esse canal né gente! Ah… e lançar pelo menos um joguinho que andei trabalhando nos últimos meses.

SEMANA 5: COMPARTILHE…

27º Compartilhe um ótimo jogo real.

Resposta: Ou eu não entendi a pergunta ou ela é bem direta mesmo hahaha. Acredito que todos os jogos sejam reais, maaaassss… compartilharei sim um RPG que curto bastante. Busquem conhecer o cenário de Birthright!

28º Compartilhe de quem você é grato por ser uma inspiração dada sua existência no RPG.

Resposta: Acredito que quem me ensinou Vampiro e me aprofundou no lore de Forgotten Realms é o grande culpado! uheuhehuehueuhe… culpa do André! Obrigado querido.

29º Compartilhe uma amizade que você tem por causa dos RPGs.

Resposta: Todo mundo aqui do Cyber Goblin é fruto do meio do RPG, isso é lindo, todos os goblins aqui de plantão são queridos amigos do RPG!!! Amo todos vocês!

30º Compartilhe algo que você aprendeu sobre como interpretar seu personagem.

Resposta: Pegar um tempinho na criação da história do personagem e imaginar que ele não surgiu a partir dali, pensar como foi sua vida quando jovem, seu crescimento, nas coisas que moldaram no meio do caminho, imaginar tudo isso pode te ajudar a antecipar reações e ai você deixa pro improviso somente o necessário. Esse é um exercício de criação e interpretação que todo mundo deveria fazer um dia, nossa, torna cada personagem muito mais interessante de se jogar!

31º Compartilhe porque você participa do RPGaDay.

Resposta: Acho que respondi isso umas duas vezes já aqui, mas escrevo novamente! Quero atingir 1 pessoa que seja com essa matéria, acho muito importante difundir essa experiência! S2

Ufa… uheuheuehheu… a cabeça ta trabalhando que é uma beleza, o bom disso tudo é faz também a gente refletir sobre algumas coisas e até mesmo conhecer o que curtimos mais e relembrar de coisas lá do fundo da memória! Bons tempos…

Bom, beijo do goblin e até breve!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *